Ocorreu um erro neste gadget

Seguidores

sábado, 3 de outubro de 2009

E-MAILS OCULTOS (4º e-mail)

De: olarreltenebroso@televoproinferno.cao
Para: disceramalvadao666@televoproinferno.cao

Assunto: A informação que faltava (mas há outras de menor importância)

Ateu. Achei legal saber que a sua vítima é um ateu. Humanos assim são cada vez mais comuns... Estou satisfeito (não sei por quanto tempo) com o que li no último e-mail que enviou para mim. O que poderia tirar a minha satisfação é o fato de que você não me informou também qual é o tipo de ateu que ele é: se é um ateu "intelectual" ou se é um ateu comum. Não que isso seja essencial, mas a tentação é uma arte (assim como a imitação da luz dos escravos do Adversário), e todo e qualquer detalhe faz a diferença na sua missão de levar o paciente para o Inferno. "Intelectual" ou "comum" são rótulos diferentes para a mesma coisa. Ambos negam a existência de nosso Adversário (e como trememos por causa da presença dele!) puramente por questões volitivas, só que o "intelectual (novamente entre aspas, porque de intelectual ele nada tem) tem uma lista mental pré-fabricada de desculpas idiotas que, assim como nós usamos pele de ovelha para enganar outras, se passam por provas ou argumentos coerentes, lógicos e condizentes com a realidade; e o comum se pode dizer que é um tipo de ateu mais "honesto", já que não usa de desculpas "intelectuais", e o seu estilo de vida já revela o motivo da descrença. O ateu comum também não está muito preocupado em levar outros para o ateísmo. Se bem que ser ateu está na "moda", graças a nós! Não pretendo prosseguir nesta questão por enquanto; quando souber o tipo de ateu que ele é, posso voltar a falar algo sobre isso. Díscera, você é um verme de sorte! Ele já está no caminho que temos indicado para a humanidade há milênios. O que você tem que fazer é impedir que qualquer manifestação espiritual lhe retire da sua descrença. Além disso, manter os olhos dele sempre voltados para as coisas deste mundo, para o estritamente "material". É uma pena! Que bom seria se ele fosse um supersticioso como a mãe, uma devota de pedaços de gesso. Aí a gente ia deitar e rolar fazendo aparições particulares e achando graça e sentido prazer da sua fé idealizada. Apesar de que o ateísmo não é uma visão religiosa tão segura como o espiritismo, para manter a vítima distante do Adversário, sempre devemos dar suporte para a fé não-cristã daqueles que estão sob nossos "cuidados". Você verá que se fizer conforme as minhas palavras, tudo vai dar certo, e deixará de ser uma vergonha no nosso reino o mais rápido possível. Deixe-me sempre informado!

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Evangélico? Isso está fora de moda; eu sou é gospel!!!

(Fonte: gospelmusicasforever.blogspot.com)

Diante da situação da igreja brasileira eu fiz este poema. Não fiz ele pensando em agradar ou desagradar ninguém. Se alguém ficar com "raiva" porque não gostou do que leu, não posso fazer nada; infelizmente, as coisas estão andando desse jeito. Se alguém ficar com "raiva" porque é gospel, é simplesmente porque não quer admitir que o seu evangelho é "meio" (que eufemismo) torto e não está disposto a negar-se a si mesmo e ser mudado pelo único e verdadeiro Evangelho. Pode ser que você, caro leitor, ache o poema um tanto quanto engraçado, mas ele seria até mais cômico se não fosse tão trágico. É realmente uma tragédia o lamentável estado que muitos crentes e suas igrejas se encontram, e ainda existem aqueles cuja "contribuição" é no sentido de esculhambar mais as coisas, dando suporte "bíblico" e "filosófico" para as sem-vergonhices gospéis.

Gospel

I

Entra na minha casa,
mas só na minha casa.
Pode até mexer num cômodo ou noutro,
mas nada de trocar a mobília!;
tenho um grande apego pelas minhas coisas velhas.
Entra só na minha casa, na minha vida.
Tudo bem; posso liberar o meu coração.
O espírito? Não, não. Deixe a carne sossegada!

II

Venha o teu reino, venha.
Venha que estou tão bem acomodado nesta rede.
Venha o teu, que eu não correrei atrás nem buscarei minhas bênçãos;
eu mesmo não!, o Mordomo me traz na bandeja o que
[eu determino: Rhema!
Não importa se não faço o que devo fazer,
muito menos se a comunhão está em baixa;
Deus cumpre o que eu não cumpro, e o que
[ele promete (lógico!).
Nem só de comer da Palavra viverá espiritualmente
[o crente,
mas de entupir a barriga do espírito com
[os sabores do mel.
Venha o teu reino, seja feita minha vontade. Amém!

III

Eu sou de Jesus e o passado está no meu nome.
Eu sou de Jesus, é claro!,
mas só para arrancar uma graninha das ovelhas
[tolas e ingênuas.
Eu sou de Jesus e pom pom pom para o Senhor.
É show, é show, show, show!
O Tinhoso sabe cantar muito bem
(as "boas" velhas seduções de um evangelho egoico).

IV

Apaixonado, apaixonado
por você, Senhor, estou. Estou!
Mas não se iluda não,
que eu estou só apaixonado!
Estou aguardando outro modismo para eu
[me apaixonar (de novo).
Não exija muito não, Senhor,
que já estou assim por tempo demais.
Te amar? Não, não. Eu sou é gospel!
Então, nada de compromisso nem exigências!
.
V
.
Quem ficou, ficou,
e eu fiquei, fiquei.
A Igreja já partiu; só me resta chorar agora!
Estive sempre tão conformado,
que este mundo também sempre foi meu lar.
Agora vem Tribulação?
Ai, ai, ai! Salve-se quem puder!
.
J. L. Palhano